Londres
17 °C

Ciência mostra como os dedos revelam a sua vida sexual

|

(LONDRES - BRIXTON) Por Cristiane Lebelem


A princípio a pesquisa pode parecer piada, mas não é, garantem os pesquisadores da Universidade Oxford e da Northumbria, no Reino Unido. Um estudo bastante detalhado, feito entre as duas universidades com fundos da Comunidade Europeia sobre o nível de hormônio no corpo de cada indivíduo, comparado com o comportamento social, mostraram que pessoas com o dedo anelar (anular) mais longo que o indicador possuem número maior de parceiros sexuais.


O que a ciência apresenta na pesquisa, que envolveu britânicos e norte-americanos com idade média de 25 anos, é que a diferença entre os dedos implica a quantidade de hormônico no organismo, desenvolvido desde a formação do feto no útero materno. Quanto mais testosterona houver maior a diferença entre os dedos, e isso não significa que há alguma distinção entre homens e mulheres, para ambos a visualização é muito clara.



Pesquisa sexual


Foto: Google / A pesquisa revela que o comprimento do dedo está relacionado com os níveis hormonais


A pesquisar sobre o tema iniciou-se em 1930. Os pesquisadores sabem há muito que o tamanho dos dedos está ligado ao gênero, ou seja, à quantidade de testosterona que cada organismo produz. Mais especificamente, a diferença entre o dedo indicador e o anelar é maior para os homens e menor para as mulheres.


Nos homens, o estudo também está associado à contagem de espermatozoides, e ainda há maior risco de desenvolver artrite nos joelhos.


A Universidade de Oxford baseou-se no que já existia de pesquisa e caminhou em direção à análise do comprimento dos dedos e ao número de parceiros que estimativamente uma pessoa pode ter durante toda a vida. Apoiados num questionário sociocomportamental, pesquisadores entrevistaram quase 600 voluntários e ainda analisaram fotos das mãos de um universo de 1.300 pessoas.


Os cientistas dividiram as pessoas em dois grupos: monogâmicos e com múltiplos parceiros. De acordo com a pesquisa, não existe meio termo, a enorme maioria dos entrevistados ou era adepto da monogamia ou do sexo sem compromisso.


O relatório científico aponta que a sexualidade humana é "bimodal", ou seja, tende a atuar em duas formas, promíscua ou exclusivista. Em números, a proporção da pesquisa mostrou que dos entrevistados 62% das mulheres têm o dedo anelar maior que o indicador, enquanto o número de homens com esse perfil chegou a 50%. Para muitas pessoas, não é fácil entender o comportamento oposto, mas julgar sem compreender as diferenças químicas e fisiológicas que o organismo promove.


*Matéria publicada na edição 738 da versão impressa do jornal Notícias em Português durante a gestão de conteúdo da From A to Be

BNNP 738 7 setembro 2016 capa


Nenhum comentário

Deixe seu comentário